Lavradores de Feitoria celebra 16 anos com nova imagem

A celebrar 16 anos de actividade, a Lavradores de Feitoria (LF) estreia uma nova identidade. A revelação acontece hoje, 11 de Novembro e Dia de São Martinho, em simultâneo no site, redes sociais e, ao vivo, no ‘Encontro com o Vinho e Sabores’ em Lisboa, onde marcará presença.
Da autoria da M&A Creative Agency, é um logótipo simples, mas forte e dinâmico. Se antes, lettering e símbolo eram apenas um, a nova imagem comporta três elementos distintos – símbolo, lettering e assinatura –, que vivem em conjunto ou individualmente, quando necessário. A existência de padrões complementa a comunicação da marca, surgindo nos diversos suportes.
Os lavradores da ‘Feitoria’ têm as suas quintas espalhadas nas três sub-regiões do Douro – Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior –, as quais têm terroirs distintos e são banhadas por diferentes afluentes do rio Douro. Separadas pela diferença dão origem às uvas que vão dar corpo aos vinhos da ‘Lavradores de Feitoria’, unidos pelo carácter e identidade deste produtor do Douro. Foi com base nestas premissas e acima de tudo na de união, materializada no conceito de puzzle, que nasceu a nova identidade da Lavradores de Feitoria.
As três linhas presentes no logótipo – cujo símbolo é um “L” e um “F” – representam as três sub-regiões, mas também os tão característicos socalcos do Douro. Nunca se cruzam e ganham mais sentido quando continuadas. Se pensarmos num puzzle, de peças deslizantes, em que cada peça/quadrado tem essas mesmas linhas, o seu conjunto torna-se mais evidente quando unidas na criação de um padrão (ou de um vinho). Uma união que acontece por iniciativa de pessoas, as que dão vida à ‘Lavradores de Feitoria’. A cor remete para a terra, os paus da vinha e o xisto, os tons de Outono, mas também para o dourado do rio Douro.
‘Somos Douro’: uma assinatura, mas acima de tudo a essência das pessoas, das vinhas e dos vinhos da ‘Lavradores de Feitoria’.
Sobre a Lavradores de Feitoria:
Criado em Setembro de 2000, é um projecto único que resultou da união de quinze lavradores, proprietários de dezoito quintas distribuídas pelos melhores terroirs do Douro, repartidas pelas três sub-regiões: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior. Pela primeira vez na região, um grupo de convictos durienses associou saberes e experiências, inovação e tradição, num esforço conjunto e solidário que marcou uma nova época para o Douro. Partilha e associativismo, concertados de uma forma moderna, razoável e inteligente, são os valores subjacentes à Lavradores de Feitoria. Actualmente são 48 os accionistas, dos quais 15 são lavradores proprietários de 18 quintas. Acresce a Quinta do Medronheiro, comprada em 2011 com capital da empresa. No total somam mais de 600 hectares de vinha.